9 de junho de 2007

Nutrição e Saúde para gatos adultos.

Nutrição e Saúde para gatos adultos

Necessidades especiais para alimentação de gatos adultos
Um gato com idade entre um e seis anos é considerado adulto. Esses gatos precisam de quantidades controladas de magnésio, fósforo, sódio e energia para que possam se manter saudáveis. Além disso, eles precisam de níveis adequados de taurina para ajudá-los a manter a função normal do coração e do aparelho reprodutivo, assim como a preservação da estrutura da retina.
A obesidade é a doença nutricional mais comum entre os gatos. Este distúrbio se deve, em grande parte, à alta palatabilidade e à popularidade de alimentos secos comerciais para gatos, sem contar com o hábito de se deixar alimento permanentemente disponível no comedouro. Gatos obesos podem apresentar maior predisposição às doenças do trato urinário inferior. Essas doenças são causadas, muitas vezes, pelo consumo excessivo de minerais, como o magnésio, que são excretados pelos rins, tornando-se um fator nutricional predisponente.

Um outro ponto importante a se considerar no tocante à saúde dos gatos adultos é a doença renal. Ao passo que a doença renal é a segunda maior causa de óbitos não acidentais em cães, nos gatos representa a principal causa de mortes não acidentais. Para ajudar a promover a saúde dos rins, evite quantidades excessivas de fósforo, proteínas e sal. Outros fatores predisponentes às doenças renais incluem a idade avançada, a desidratação grave, a insuficiência cardíaca, a insuficiência hepática, infecções renais, o uso de alguns tipos de antibióticos, a hipertensão arterial, certos tipos de câncer e obstruções do trato urinário.

Fazendo Comparações
 
A melhor maneira de comparar alimentos para animais de companhia
É importante fazer essa comparação com base na matéria seca, e não pelo conteúdo nutricional médio (análise garantida, presente na embalagem), e fazer comparações de custos com bases nas porções diárias oferecidas, tomando como diretriz as quantidades diárias recomendadas no rótulo da embalagem. Isto é importante porque as quantidades diárias recomendadas variam de um alimento para o outro, uma vez que também variam seus conteúdos energéticos.
Embora nem todas as informações nutricionais sobre os alimentos comerciais possam ser encontradas nos rótulos, estes são extremamente úteis para que você saiba que tipos de ingredientes são usados no produto.

No entanto, a relação de ingredientes ("composição básica do produto") NÃO descreve o conteúdo nutricional -- ela simplesmente relaciona os ingredientes que fornecem os nutrientes. Esta listagem não irá ajudá-lo(a) a decidir se o alimento em questão é ou não o mais adequado para a idade ou raça de seu animal nem funciona como uma garantia de qualidade dos ingredientes.
Da mesma forma, é importante compreender a função do conteúdo nutricional médio -- este sim é a única garantia real de quantidades mínimas e máximas de nutrientes que podem ser encontrados no alimento. As quantidades reais podem variar bastante. Nós recomendamos que os alimentos sejam comparados com base nos valores encontrados na matéria seca, valores esses que não são exibidos no rótulo, mas normalmente são disponibilizados pelos fabricantes de alimentos. Caso o fabricante não disponibilize esses dados, clique aqui para aprender a calcular a matéria seca utilizando as informações exibidas no rótulo.

Tendo isso em mente, eu usei a fórmula proposta pelo site da Hill’s para fazer os cálculos da matéria seca [(% nutriente) dividido por (100 - % umidade) x 100 = % com base na matéria seca] das rações abaixo, e os resultados foram os números que estão em negrito ao lado dos ingredientes. Nesses casos, como os níveis de umidade variavam de 12% ou 10%, não achei que fez muita diferença, mas como tinha a calculadora no site, eu quis conferir. A partir dessa pequena comparação, eu cheguei à algumas conclusões... como eu não sou especialista nesse assunto, não sei se tudo o que eu falar aqui vai fazer sentido, ou mesmo que vai estar certo, mas eu me interesso bastante acerca desse assunto e achei que ficou interessante, por isso, resolvi compartilhar com vocês. Dessa forma, vocês também vão poder dar suas opiniões, afinal, duas (ou mais) cabeças sempre pensam melhor que uma, não é?
Eu considerei apenas os itens que eu pude achar em comum em todas (ou quase todas) para montar as tabelas.
Abaixo estão as tabelas nutricionais das seguintes rações:
· Pro Plan
· Royal Canin
· Hill’s
· Iams
· Cat Chow
· Whiskas
· Friskies
· Gatsy
Níveis de Garantia – Pro Plan (Super Premium)
Proteína Bruta (46%)
mínimo
41,0%



Extrato Etéreo (22,7%)
mínimo
20,0%



Matéria Fibrosa (2,8%)
máximo
2,5%



Umidade
máximo
12,0%



Matéria Mineral (7.4%)
máximo
6,5%



Cálcio (1.4%)
min./avg./máx.
1,0 / 1,1 / 1,2%



Fósforo
min./avg./máx.
0
Níveis de Garantia – RC Fit 32 (Super Premium)
Proteína Bruta (35,6%)
mínimo
32,0%



Extrato Etéreo (16,7%)
mínimo
15,0%



Matéria Fibrosa (5,2%)
máximo
4,7%



Umidade
máximo
10,0%



Matéria Mineral (7.2%)
máximo
6,5%



Cálcio (1.2%)
máximo
1,1%



Fósforo (1.2%)
mínimo
1,1%
Níveis de Garantia – Hill’s (Super Premium)
Proteína Bruta (33,5%)
mínimo
30,0%



Extrato Etéreo (23,7%)
mínimo
20%



Matéria Fibrosa (0,9%)
máximo
2%



Umidade
máximo
10,0%



Cálcio (0,81%)
máximo
0,6%



Fósforo (0,74%)
mínimo
0,5%



Magnésio (0,066%)
mínimo
0,08
Níveis de Garantia – Iams (Premium)
Proteína Bruta (35,6%)
mínimo
32%



Extrato Etéreo (23,3%)
mínimo
21%



Matéria Fibrosa (3,3%)
máximo
3%



Umidade
máximo
10%



Matéria Mineral
máximo
?%



Cálcio
máximo
?%



Fósforo
mínimo
?%



Magnésio ( 0,1%)
mínimo
0,1%
Níveis de Garantia – Cat Chow (Standard)
Proteína Bruta (35,2%)
mínimo
31,0%



Extrato Etéreo (9,1%)
mínimo
8,0%



Matéria Fibrosa (4,5%)
máximo
4,0%



Umidade
máximo
12,0%



Matéria Mineral (9.7%)
máximo
8,5%



Cálcio (1.7%)
máximo
1,5%



Fósforo (0.9%)
mínimo
0,8%
Níveis de Garantia – Whiskas (Premium)
Proteína Bruta (31,8%)
mínimo
28,0%



Extrato Etéreo (9,1%)
mínimo
8%



Matéria Fibrosa (4,5%)
máximo
4%



Umidade
máximo
12%



Matéria Mineral (9.1%)
máximo
8%



Cálcio (1.4%)
máximo
1,2%



Fósforo (0.8%)
mínimo
0,7%



Magnésio (0,1%)
mínimo
0,1%
Níveis de Garantia – Friskies (Premium)
Proteína Bruta (35,2%)
mínimo
31%



Extrato Etéreo (10,2%)
mínimo
9%



Matéria Fibrosa (4,5%)
máximo
4%



Umidade
máximo
12%



Matéria Mineral (9,7%)
máximo
8,5%



Cálcio (1.7%)
máximo
1,5%



Fósforo (0,9%)
mínimo
0,8%
Níveis de Garantia – Gatsy
Proteína Bruta (34,1%)
mínimo
30%



Extrato Etéreo (9,1%)
mínimo
8%



Matéria Fibrosa (5,1%)
máximo
4,5%



Umidade
máximo
12%



Matéria Mineral (10,2%)
máximo
9%



Cálcio (2,2%)
máximo
1,9%



Fósforo (1%)
mínimo
0,9%


Como se pode ver, as rações inferiores possuem uma considerável diferença na quantidade de proteína em sua composição em relação à Pro Plan (10%). O menor teor protéico tende a fazer com que a ração fique bem menos palatável, e por isso, são adicionadas a ela quantidades bem maiores de sal e aromatizantes artificiais. Mesmo com a desculpa que a Whiskas (28% de proteína) deu quando questionada sobre o sal utilizado na composição de sua ração, falando que isso faria com que os gatos ingerissem mais água, sabe-se que sal em excesso também pode ser considerado um fator que aumenta o risco de doenças renais. Ainda em relação aos problemas renais, percebe-se que os níveis de minerais são mais altos nas rações inferiores. Mesmo que a diferença seja pequena, e que os minerais sejam importantes fontes estruturais do organismo, é bom pensar que a longo prazo, essa pequena quantidade pode vir a fazer alguma diferença. Já que esse excesso de minerais deverá ser eliminado do organismo pela urina.
 
Já a Hill’s, a RC e a Iams, possuem níveis protéicos parecidos com os das rações inferiores, entretanto, é preciso levar em consideração que tipo de proteína está sendo utilizada para a fabricação desses alimentos, pois é sabido que nas rações mais baratas, utiliza-se produtos inferiores (como penas e bicos, por exemplo), que embora sejam proteína pura, não são nada digestíveis, mas barateiam bastante o produto final. Ainda em relação a essa questão, também é bom lembrar que nas rações que trazem em seus rótulos “Aves” podem gerar alguma desconfiança, pois é bem diferente a qualidade digestiva da carne de uma galinha ou de um urubu, por exemplo.
Outro fator importante é equilíbrio entre os níveis de proteína e gordura (extrato etéreo) que a outras não possuem. Enquanto que nas marcas superiores os níveis de proteína e gordura, respectivamente, são 46% e 22% (Pro Plan), 35% e 16,7% (RC), 30% e 20% (Hill’s) e 35,6% e 26,6% (Iams), a Cat Chow e a Whiskas apresentam grande disparidade: 35,2% e 9,1% (Cat Chow), 31,8% e 9,1% (Whiskas), 35,2% e 10,2% (Friskies) e 34,1 e 9,1 (Gatsy).
As gorduras são componentes importantes para o bom funcionamento do organismo, são grandes fontes de energias e absolutamente necessárias para a absorção de algumas vitaminas (A, D, E e K). Também são importantes para a formação de alguns hormônios, além de serem conterem dois ácidos graxos fundamentais para o organismos dos gatos: ácido linoléico e ácido araquidônico. O último pode ser achado apenas em gorduras de origem animal, e os gatos, como verdadeiros carnívoros que são, necessitam dele para o bom funcionamento de seu organismo. Aves domésticas são fontes riquíssimas desse ácido, mas são também um componente que encarece bastante o produto final, por isso, muitas vezes, são usados produtos alternativos como “beef tallow” (sebo bovino), que é uma fonte pobre desses ácidos essenciais.
Sobre o consumo maior ou menor das rações Super Premium, Premium/Standard: as primeiras, por serem apresentarem ingredientes de origem animal de qualidade, têm maior digestabilidade, ou seja, o trato digestivo felino terá menos trabalho para metabolizá-los. Dessa forma, o consumo diário será menor, além de proporcionar uma vida com mais saudável e reduzir o volume das fezes. Enquanto que as outras rações, compostas principalmente de farelo de grãos e subprodutos da carne, não sendo tão digestíveis assim.
 
Além disso, têm-se que mencionar é que não existe uma regra para a classificação de rações nos grupos citados acima, por isso, temos a Iams que é a ração Premium da Eukanuba, e a Friskies que é a ração Premium da Purina, embora as diferenças entre elas seja muito grande.
Segundo eu li no site da Purina, eu acredito que as mudanças ocorridas na Cat Chow (essa é a linha Standard deles, a Friskies é a Premium) estão relacionadas à diminuição do magnésio em sua composição, o que de fato é bom, pois ajuda a manter o pH da urina num nível adequado. Nessa sentido, a ração foi mesmo reformulada mesmo para melhor. E os casos de problemas do trato urinário devem ser reduzidos.
 
A Whiskas também foi reformulada a pouco tempo, mas não consegui achar exatamente em que ela foi reformulada, embora acredite que tenha sido no mesmo sentido da Cat Chow, pois as principais reclamações relacionadas as duas marcas eram o surgimento de problemas no trato urinário.
Fora isso, só lembrando que cada ração tem algum tipo de particularidade que eu não considerei aqui. Algumas trazem no rótulo os níveis de taurina, outras possuem alguns aminoácidos especificados, além de outros detalhes que certamente devem ser considerados, mas que como não encontrei em todas, portanto, não usei aqui.
 
E a crítica geral em relação às rações secas, é que todas possuem um baixo nível de proteínas... nem 50%, sendo que gatos são animais fundamentalmente carnívoros...

Um comentário:

Grazi disse...

Lena, por essa análise que fizeste a ProPlan seria a melhor? Tenho uma gatinha de 6m, alimento-a com Hills, mas se tiver uma melhor eu quero saber pra trocar. Olhei a guabi também, ela é boa?
Vi que a fórmula delas difere de país para país, né? Moro no Brasil, então estou interessada nessas rações na formulação comercializada aqui.
Obrigada!!!